Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Arquivo NippoBrasil: Zashi - Destaques

Destaques: NippoBrasil
    

Zashi Apresenta
Matéria publicada no Zashi edição 9 - Maio de 2008

Anna Saeki

Cantora japonesa tem repertório de canções com influência argentina e afirma: “Tango é a minha vida”

(Por: Erika Kobayashi*)

pós ser eleita Miss Sapporo, Anna Saeki – nascida em Asahikawa, Hokkaido, extremo norte do Japão – “estreou” no mundo das celebridades. Enquanto aparecia em vários programas como cantora, atriz e apresentadora, ela acabou escolhendo a canção clássica argentina para sua vida.

Já consolidada como cantora de tango, Anna fez seu show na capital paulista no mês de março, em comemoração do centenário da imigração japonesa no Brasil. Para o público que prestigiou o evento, a artista incluiu, em seu repertório, a mescla de músicas folclóricas e infantis do Japão com um “toque argentino”, além dos tradicionais tangos do país de Maradona.

Além de São Paulo, Anna Saeki já excursionou por Berlim, Moscou, Paris, Havaí, Nova York, entre outras localidades. Por meio da magia do tango, ela estabeleceu uma ponte entre o Japão e a Argentina, alcançando também outros países.

No melhor estilo clássico nipo-argentino, Anna aceitou conceder uma entrevista exclusiva para a Zashi e contar um pouco de sua paixão pelo tango.

(*Colaboração: Andreano Takahashi)

Zashi - Dentre os vários estilos de música que se conhece hoje, porque a opção pelo tango?
Anna Saeki -
Primeiro, foi uma surpresa para mim. Há 20 anos, quando comecei minha carreira, vivia-se uma “fase elétrica”. Nesse cenário, a melodia clássica criada por um piano, um contrabaixo e outros instrumentos causou um forte sentimento de novidade em mim. “Nossa! Não conhecia esse tipo de tom!”, eu dizia. Sou muito curiosa. Ao mesmo tempo, senti a possibilidade de o tango ser aceito também por pessoas jovens. Foi assim que comecei minha carreira com esse estilo argentino.

Zashi - Sabe-se seu espanhol é muito elogiado por nativos do idioma. Você teve dificuldades para cantar em outra língua completamente diferente da japonesa?
Anna -
No começo, eu não conseguia pronunciar o “r”... (risos). Mas, graças ao apoio que recebi, hoje, venho ganhando oportunidades em vários lugares, não só no Japão. Eu avalio o sentimento das letras originais com o coração de um músico. Porém, traduzi-las literalmente as deixaria compridas e não seria possível cantar. Por isso, faço um “resumo”. Entretanto, mesmo assim, tento transmitir o mesmo sentimento ao público. E isso é muito difícil.

Zashi - Há dez anos, você começou a fazer shows no exterior. O que houve em sua carreira desde então e o que você acha dessas apresentações?
Anna -
Desde que estreei, tive muitas reviravoltas. Na época, eu estava cheia de outras atividades além da música, trabalhando também como atriz de novela e apresentadora de um programa de variedades. Assim, não conseguia me concentrar na música, que, por sua vez, não se restringia somente ao tango. Passados dez anos, gravei o álbum Besame Mucho, produzido por Sérgio Jorge em Nova York. Esse trabalho teve uma boa repercussão em meus shows. Desde então, as oportunidades começaram a surgir. Em qualquer país, tenho sempre a idéia básica de transmitir a minha música, superando a barreira da linguagem. Há a dificuldade de o tango aceitar ou não isso, mas o que faço para superar esse problema é apenas cantar a minha música. E fico muito feliz quando o público a escuta como “a música de Anna Saeki”, e não apenas como um tango.

Zashi - Você gravou um CD de músicas infantis e folclóricas em “estilo tango”. Fale sobre isso.
Anna -
Desejo que os japoneses conheçam e se familiarizem mais com o tango. Acredito que minha música seja uma oportunidade para isso. Ao mesmo tempo, pretendo tentar coisas novas. Quando pedi os arranjos para um amigo que mora em Paris, ele comentou que essa ponte entre a música infantil japonesa e o tango era a primeira tentativa nesse estilo.

Zashi - De onde vem essa vontade de criar um novo estilo?
Anna -
Acho que a música também precisa se transformar com o tempo. Até mesmo Astor Piazzolla (compositor e bandoneonista argentino), baseado no tango, criou um modo de execução harmonizando jazz e música clássica. No começo da carreira, ele era criticado com o argumento de que suas músicas não eram tango. Hoje, as músicas dele são estabelecidas nesse gênero. Eu quero ser igual ele.

Zashi - Explique mais sobre o seu estilo de cantar o tango.
Anna -
Acho que o tango é uma expressão de sentimento e de paixão. No cotidiano, sou o contrário, pode-se dizer que expresso meus sentimentos cantando. Possivelmente me senti atraída pelo tango por esse motivo. Hoje, o tango é uma minha parte da minha vida.

Zashi - Qual é o segredo da sua beleza?
Anna -
Cuidado nas refeições. Sempre penso na balança, na nutrição e em me controlar. Também faço dança para manter minha forma física. Quero gravar um CD ao vivo em minha melhor forma.


© Copyright 1992 - 2015 - Portal NippoBrasil

Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br


17 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)