Portal NippoBrasil - OnLine - 17 anos
Arquivo NippoBrasil: Zashi - Destaques

Destaques: NippoBrasil
    

HISTÓRIA DA ESCRITA JAPONESA
Matéria publicada no Zashi edição 10 - Junho de 2008

Uso de ideogramas em Música

Muitas vezes, esses símbolos não obedecem às regras padronizadas de leitura, mas sim ao vocabulário na fala

A música japonesa tem estilos variados, que vão do tradicional ao moderno; neste mês, focalizaremos dois deles: o enka (literalmente, “canção interpretada”) e o J-pop (japanese pop), por serem os mais conhecidos.

Regras de leitura

Na TV ou nas telas de karaokê, verifica-se, freqüentemente, o uso de ideogramas nas legendas de canções. Há casos de ideogramas que não obedecem às regras padronizadas de leituras.

Muitas vezes, o compositor reforça o sentido no plano visual, mas provoca leituras da fala. Isso é um aspecto possível de ser elaborado nos kanji, principalmente quando estão em compostos (jukugo), que preservam na sua arquitetura a significação precisa, imbuída de conceitos. Por exemplo, (jikan = hora/tempo) acaba sendo, por vezes, cantado como toki (mais oral, mais poético); (riyû = razão), como wake (razão); (zasshi = revista), como magajin (versão japonesa do inglês magazine, que significa revista). Verifica-se que todos eles possuem correlação de sentidos entre si.

Na canção Ashita wo yume mite (“Sonhando com o dia vindouro”), do grupo Zard, o termo (hyoujou = fisionomia), é lido como kao, significando rosto. Observa-se, assim, um recurso semelhante aos ateji, que empregam os kanji pelo seu significado, mas não com leitura consagrada nos dicionários ou assentadas no ensino formal. Cabe lembrar que essas leituras, quando escritas, seja em legendas, seja em encartes de CDs, recebem furigana (leitura em hiragana que acompanha os kanji) por se tratarem de leituras especiais.

Alteração de pronúncia

Pode-se dizer que a música é um instrumento poderoso de aprendizagem autônoma. Mas é importante conhecer a leitura padrão, como também a sua pronúncia, já que, muitas vezes, ela é alterada deliberadamente por alguns letristas, normalmente de J-pop, para causar impressão de modernidade e americanização.

Colaboradora: Ayako Akamine
Coordenação: Profª. Leiko Matsubara Morales
Centro de Línguas (FFLCH/USP) – Centro Interdepartamental de Línguas – Cursos de Japonês Instrumental
Direção: Profª.Drª. Rosane de Sá Amado
E-mail: japones.cl.fflch.usp@gmail.com


© Copyright 1992 - 2015 - Portal NippoBrasil

Todos os direitos reservados - www.nippo.com.br


25 usuários online


Redação: editor@nippo.com.br

Diretoria: diretoria@nippo.com.br

Vendas: anuncie@nippo.com.br

Tel: (11) 9 5371 4019 (TIM)